Aplicativos para crianças com autismo: baixe e transforme a sua rotina

Os aplicativos para crianças com autismo são ferramentas importantes para as famílias atípicas que desejam ter uma rotina mais tranquila, saudável e leve.

Os aplicativos para crianças com autismo pode facilitar muito a rotina das famílias atípicas. 

Anúncios

Existem muitos desafios ao cuidar de crianças com autismo por não saber como lidar nas horas mais difíceis.

Contudo, com alguns aplicativos essa tarefa pode ficar mais amena, trazendo um pouco de tranquilidade.

O que é autismo?

Segundo a ONU, 1% das pessoas no mundo podem ter autismo, e 1 em cada 160 crianças no planeta foi diagnosticada com o TEA (Transtorno do Espectro do Autismo).

Em suma, o autismo é caracterizado como um transtorno de desenvolvimento neurológico evidenciado de maneiras diferentes.

Nesse sentido, ela acaba dificultando e afetando a comunicação do indivíduo, a fala, interação com outras pessoas e, em geral, o comportamento.

Assim, pessoas nessa condição costumam manifestar diversos padrões de comportamentos repetitivos, interesses fixos, hiperfoco e hipo ou hipersensibilidade como reações a estímulos sensoriais, entre outras situações.

A princípio, é possível perceber os primeiros sinais iniciais de TEA logo nos primeiros meses de vida, e ainda pode ser restabelecido quando a criança estiver entre 2 a 3 anos.

Geralmente em quem tem autismo, algumas das características mais visíveis, é o pouco contato visual, dificuldade de interação com as outras pessoas e o interesse por algo específico.

Aplicativos para crianças com autismo: causas do autismo 

aplicativos para crianças com autismo

A origem do TEA ainda é desconhecida, contudo, há uma série de pesquisas intensa nessa área, as informações são de genética e os agentes externos possam desempenhar um papel crucial na causa desse transtorno.

Um estudo publicado pelo jornal American Medical Association  informa que a herança genética pode ser responsável por 80% dos casos.

Por outro lado, as influências exógenos podem ser relacionadas a algumas no período da gestação, infecções, desequilíbrio metabólico e convívio com substâncias tóxicas.

TEA: fatores de risco 

Veja quais são os fatores de risco que envolve o autismo:

  1. Os meninos têm de quatro a cinco chances a mais de desenvolver autismo em relação às meninas;
  2. As famílias que têm histórico de TEA naturalmente possui maiores riscos de ter outros casos;
  3. Nas crianças com problemas de saúde como: epilepsia e esclerose tuberosa, há um maior risco de ter o transtorno;
  4. Estudos indicam que pessoas que têm filhos com idade avançada, têm grande chance de desenvolver autismo até os três anos.

Veja quais são os tipos de autismo 

Autismo clássico:

Esse tipo de TEA é evidenciada em pessoas com características voltadas para si próprias, que não se interessam por um contato visual, não se comunicam por meio da fala e possuem problemas de compreensão.

O nível de comprometimento dessas pessoas varia conforme o caso, há situações que parecem até para apresentar uma deficiência mental.

Síndrome de Asperger:

Nesse nível as pessoas apresentam os mesmos sintomas de comunicação e interação social, contudo de uma maneira mais crítica.

Mas, com relação à síndrome de Asperger, as pessoas têm um grau intelectual elevado comparado aos outros, sendo visto como geniais nas áreas que dominam.

Distúrbio global do desenvolvimento sem outra especificação:

Por fim, quem se encaixa nessa categoria tem os mesmos problemas e dificuldades das duas situações anteriores.

Bem como, pelos sintomas não são suficientes para serem classificados nas categorias anteriores, isso acaba dificultando o diagnóstico.

Aplicativo para crianças com autismo: graus de TEA

Além dos tipos de autismo, tem também os graus em que se desenvolve, veja quais:

Grau 1

O grau 1 é considerado leve, pois as pessoas nesse nível são independentes e costumam desenvolver de maneira simples as tarefas do cotidiano.

Por sua vez, elas costumam ter pouco interesse em cultivar interações sociais e têm dificuldade em se expressar, trocar atividades, se organizar e planejar.

Grau 2

No caso do grau 2 os sintomas já ficam mais evidentes, e as pessoas nessa situação necessitam de um auxílio moderado para desenvolver algumas atividades.

Além disso, ela tem maior dificuldade de se socializar e costumam não fazer comunicação verbal.

Grau 3

Os pacientes com grau três possuem pouca autonomia, e em comparação aos os outros casos, precisam mais de apoio para fazer atividades diárias.

Nesse sentido, tem déficits de comunicação e convívio social, em algumas situações não consegue nem se comunicar verbalmente, ou seja, necessitam de constante atenção, ao ser considerado um grau severo.

Veja também: Os melhores aplicativos de realidade aumentada

Aplicativos para crianças com autismo

Veja agora alguns aplicativos para ajudar lidar com pessoas com autismo:

1. Expressia

O Expressia, ajuda no tratamento de TEA, entre outras situações, ele dispõe de pranchas de comunicação para comunicação cognitiva.

Além disso, ele tem recursos de imagens, sons, letras e ferramentas audiovisuais que atraem a atenção das crianças.

O aplicativo ainda tem ferramentas de personificação de tarefas e tecnologia 100% nacional.

2. Aplicativos para crianças com autismo: Jade Austim

Esse aplicativo foi feito para estimular as atividades cognitivas, por jogos com figuras e imagens.

Desse modo, ele usa as imagens da rotina da criança e aprimora a sua cognição, por meio de estímulos e algumas brincadeiras.

3. ABC do Autismo

Desenvolvido pela IFAL, o seu foco principal é a educação e tratamento de crianças com TEA que têm o déficit de raciocínio ligado à comunicação.

Assim, ele é feito como um jogo e tem níveis de redirecionado para o letramento, aprendizado, leitura e construção de palavras, além de conhecimento de vogais.

4. Aplicativos para crianças com autismo: Matraquinha

O Matraquinha faz com que a criança consiga expressar seus sentimentos e desejos por meio de cartões, esse ótimo aplicativo é muito simples de manusear e entender.

Assim, é só a criança clicar no botão, que o aplicativo, por meio de mensagem de voz, fala o que a criança quer comunicar. 

5. Rotina Divertida

O Rotina divertida foi desenvolvido pensando no relacionamento dos pais com os filhos, ele age gerenciando atividades diárias e acompanhando os sentimentos da criança ao concluir cada tarefa.

Com esse aplicativo é possível desenvolver rotinas, cadastrar tarefas e compartilhar com a criança.

Conclusão

Existem bons aplicativos para crianças com autismo que vão te auxiliar nessa tarefa, quanto mais ferramentas você tiver a sua disposição será melhor para ambos lados.

Portanto, não perca tempo e utilize a tecnologia a seu favor, esse processo de aprendizagem pode ser menos difícil, e mais prazeroso.